(2007) 14º Pesquisando em Enf. / 10ª Jornada Nac. História Enf. / 7º Encontro Nac. Fundamentos Cuid. Enf.
Header
 Pgina Principal > Trabalhos > Caroline do Carmo Fagundes Teixeira - relator
 
Caroline do Carmo Fagundes Teixeira - relator
 

OS CUIDADOS DE ENFERMAGEM NO BEM-ESTAR AOS CLIENTES COM DOENÇA NEUROLÓGICA DEGENERATIVA

Caroline do Carmo Fagundes Teixeira - relator
EEAN/UFRJ

Érica Ribeiro do Carmo
EEAN/UFRJ

Raphaele Cristine de Souza Marques
EEAN/UFRJ

Glaucia Valente Valadares
EEAN/UFRJ

     Full text: Not available
     Last modified: May 7, 2007
     Presentation date: 05/17/2007 1:30 PM in PA-EEAN - Sala 2
     (View Schedule)

Abstract
As doenças neurológicas degenerativas são comuns e todos os grupos etários podem ser afetados. Dentre as doenças neurológicas degenerativas, as mais comuns são: Mal de Alzheimer, Doença (Mal) de Parkinson e Miastenia Grave. Além dessas, existem aquelas que sugerem suscetibilidade genética, como: Esclerose Múltipla, Doença de Huntington e Esclerose Amiotrófica Lateral (ELA). Por fim, a Doença Creutzfeldt-Jakob, que é considerada rara. O interesse nesse tema partiu do cenário de nosso campo de estágio, em especial o setor de neurologia, impulsionando-nos a refletir sobre a seguinte questão: Como o cuidado de enfermagem pode influenciar no bem-estar do cliente com doença neurológica degenerativa? Para caracterizar a complexidade dos distúrbios neurológicos, sabe-se que estes podem afetar a função cognitiva com perturbações na linguagem, percepção e memória, bem como produzir sintomas específicos atribuíveis às estruturas subcorticais, à medula espinhal, aos nervos periféricos ou aos músculos. Segundo Campos (1995), o profissional de saúde atua no ajustamento do cliente às condições da vida hospitalar. Isso se torna necessário, uma vez que a doença rompe a relação do cliente com a sociedade e seus familiares, havendo uma mudança de papéis, de equilíbrio e rotina de sua vida. Vivendo um momento de crise, o cliente fica na dependência de outras pessoas. E, é nesse momento, que o profissional de enfermagem intervém, auxiliando esse cliente e sua família, para que ambos possam restabelecer suas vidas cotidianas, satisfatoriamente, o mais rápido possível. No processo de adoecimento há mudanças profundas ligadas à capacidade produtiva, considerando: o ambiente familiar, o ritmo cotidiano, a auto-imagem e a auto-estima. No contexto das doenças neurológicas degenerativas, é importante enfocar também, os muitos preconceitos, os sentimentos singulares de impotência, dentre muitos outros aspectos, associados ao quadro clínico do cliente; sendo a enfermagem necessária, já que pode contribuir tanto para a melhora na auto-estima do portador, quanto no auxílio a família, no sentido da melhor vivência do processo saúde-doença. De tal modo, de acordo com as nossas observações durante o Programa Curricular Interdepartamental VII, especificamente no que tange as atividades pertinentes ao Estágio Curricular Supervisionado, o profissional que atua no setor de neurologia, deve ser muito criterioso e responsável, haja vista que além de proporcionar um atendimento adequado e humanizado ao cliente, atua também como agente educador, no que pese o binômio cliente-família, por conseguinte, o preparo para retorno ao domicílio. Dessa forma, delinearam-se as seguintes questões norteadoras para o referido estudo: O que há na literatura de enfermagem sobre o cuidado ao cliente com doença neurológica degenerativa? De acordo com tais estudos, haveria influência do cuidado de enfermagem no bem-estar desse cliente? Com o propósito de responder às questões, foi elaborado o seguinte objetivo: Estabelecer os nexos entre os cuidados de enfermagem aos clientes com doenças neurológicas degenerativa e a promoção de seu bem-estar. A relevância desse estudo prende-se a vários aspectos, em destaque: efetiva contribuição tanto para os profissionais da área de saúde, bem como para os acadêmicos de enfermagem, no que tange a discussão sobre o cuidado de enfermagem prestado a portadores de doença neurológica degenerativa, com possíveis implicações para a recuperação dessa clientela. A metodologia, portanto, alinha-se com a de um estudo secundário. Os procedimentos adotados foram próprios ao da Pesquisa bibliográfica, de caráter exploratório. Segundo Lakatos e Marconi (2001), a pesquisa bibliográfica trata-se de levantamento de bibliografia já publicada, em forma de livros, revistas, publicações avulsas e imprensa escrita. Sua finalidade é colocar o pesquisador em contato direto com aquilo que foi escrito sobre determinado assunto. Para tal, iniciou-se com a base de dados da Bireme, usando como descritores: Doença Neurológica Degenerativa, Demência, Alzheimer, Parkinson, Miastenia, Esclerose Múltipla, Esclerose Amiotrófica Lateral, Doença Creutzfeldt-Jakob e Doença de Huntington. Para o adequado refinamento, os descritores referidos foram associados ao descritor cuidado de enfermagem. No atendimento da especificidade do cuidado de enfermagem, foram consultadas os seguintes periódicos: Revista Brasileira de Enfermagem, Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, Revista Escola de Enfermagem da Universidade Estadual do Rio de Janeiro e Revista Latino-Americana de Enfermagem, com recorte temporal situado nos últimos dez anos. A base teórica que sustenta a concepção de cuidado nesta pesquisa ampara-se nas concepções de Boff (1999) sobre o cuidado. Segundo o autor (op. cit.), cuidado é o que se opõe ao descuido e ao descaso, sendo cuidar mais que um ato, é uma atitude. Abrangendo a atenção, o zelo e o desvelo. Traduz-se em uma atitude de preocupação, de responsabilização, de ocupação e de envolvimento afetivo com o outro. O cuidado se encontra na origem primeira do ser humano e acontece antes que ele tenha qualquer outra atitude. Cabe destacar que, uma maneira de ser, não é um novo ser. É uma forma do próprio ser de estruturar-se e se conhecer. O cuidado entra na construção, na natureza do ser humano. O modo-de-ser cuidado pode revelar de maneira mais concreta como é o ser humano. Assim, cuidar vai sugerir ter intimidade, sentir, acolher e respeitar. Vai exigir uma sintonia, uma afinidade, abrindo espaço para a razão cordial, para delicadeza e o sentimento profundo. Essa experiência permite ao ser humano dar valor e importância ao que realmente conta, nascendo assim a dimensão de alteridade, de respeito e de complementaridade. Logo, refletir sobre o cuidado, permite o amadurecimento do próprio saber/ fazer em enfermagem. Os resultados desse estudo evidenciou que: dos 152.815 artigos encontrados na Internet, na Base de Dados Bireme, nenhum estabelecia relação direta entre os cuidados de enfermagem e o bem-estar dos clientes com doença neurológica degenerativa. Apenas dois discutiam a importância do enfermeiro atuando como educador perante a família deste tipo de clientela. A partir desse levantamento bibliográfico, pode-se observar que, apesar do progresso na área das doenças neurológicas degenerativas, poucos foram os avanços em termos de publicações, com ênfase ao cuidado de enfermagem prestado a essa clientela. Logo, fazem-se necessários estudos que possam favorecer a discussão mais aprofundada dessa temática; por conseguinte, dar mais visibilidade da enfermagem, em especial, no que se refere a atuação do profissional enfermeiro, a esta clientela.

Research
Support Tool
  For this 
refereed conference abstract
Capture Cite
View Metadata
Printer Friendly
Context
Author Bio
Define Terms
Related Studies
Media Reports
Google Search
Action
Email Author
Email Others
Add to Portfolio



    Learn more
    about this
    publishing
    project...


Public Knowledge